Taí uma ótima iniciativa no caminho da sustentabilidade, do ponto de vista social – porque capacita a população local ao invés de trazer gente de fora e do ponto de vista cultural – porque serão as tradicionais Baianas que continuarão a oferecer os produtos e não pessoas “fantasiadas”.

Parabéns ao Senac e a Secretaria de Turismo da Bahia.

Confira a matéria da Folha Online

A Secretaria de Turismo da Bahia vai oferecer a 120 baianas quem vendem acarajé em Salvador um curso de inglês básico para a qualificação profissional. O objetivo é melhorar o atendimento aos turistas estrangeiros, que aumenta durante o verão.

A aula inaugural acontece neste domingo (25), às 16h, no Memorial da Cruz Caída, na praça da Sé, onde funciona a sede da Associação das Baianas de Acarajé e Mingaus (Abam).

A atividade será realizada através de uma parceria com o Senac, que desenvolve há anos um programa de treinamento profissional para as baianas do acarajé.

O curso de inglês instrumental terá uma duração de 20 horas e irá capacitar as profissionais a manter um diálogo essencial com os seus clientes, para que possam vender mais facilmente os produtos típicos da culinária baiana.

As 120 quituteiras foram selecionadas pela Abam e formarão três turmas de 40 alunas, que farão o curso em cinco aulas 4 horas por dia, de segunda a sexta-feira.

O programa do curso de inglês básico foi formatado pelo Senac, que possui um quadro de instrutores selecionados e já fez o treinamento de mais de mil baianas, dentro do Programa de Alimentos Seguros.

Fonte: Folha Online