Quem mora em São Paulo e nunca foi ou ouviu falar do Museu do Ipiranga? É essa a principal referência que os paulistanos tem do bairro.

O que muitos não sabem é que o Ipiranga é um dos bairros mais antigos da cidade. Ali há importantes pontos históricos, como o próprio Museu do Ipiranga, que recebe, em média, 400 mil visitantes por ano e mais 175 atrações, entre pontos turísticos, estabelecimentos de alimentação, agências de turismo e empreendimentos culturais.

Destaque para o Museu da Zoologia, o Museu do Automóvel, o Memorial Santa Paulina (em homenagem à primeira santa brasileira) e o Museu Vicente de Azevedo, além de prédios históricos e restaurantes de comida típica. Com todo esse acervo histórico cultural, o bairro do Ipiranga deve consolidar-se como destino turístico até 2011.

Lançado oficialmente no fim de 2008, o Projeto Roteiros Históricos e Culturais do Ipiranga entra na fase de consolidar as parcerias para iniciar os processos de capacitação dos envolvidos com o turismo local.

Na primeira fase foi feito um levantamento das atrações turísticas, entre museus, casarões antigos e restaurantes. A partir das adesões, consultores visitaram os empreendimentos e identificaram as principais falhas que impedem a profissionalização do turismo na região. Até agora, 56 empreendimentos já receberam o diagnóstico técnico. As capacitações visam contribuir com a profissionalização dos atrativos turísticos e culturais.

As ações vão envolver aulas de inglês e espanhol, capacitação gerencial e operacional. “A ideia é estabelecer três roteiros turísticos até 2011: o Roteiro Histórico Cultural, o Roteiro de Diversão e Arte e um Roteiro Religioso“, descreve Diego Mendes, consultor de turismo do Sebrae/SP.

Nos três roteiros que serão formatados ao longo do projeto, a ideia é integrar as atrações e proporcionar o exercício da experiência. “O turista que visitar o Museu do Automóvel poderá, por exemplo, fazer um test drive num carro antigo”, sugere Marcos Marsulo, consultor em cultura pelo Sebrae/SP. Outra ideia é promover festivais de órgãos relacionados às igrejas do bairro, a exemplo do que já acontece anualmente com o Festival de órgãos do Largo de São Bento, no Centro da Capital. Já foram investidos R$ 70 mil em visitas aos empreendimentos e consultorias.

Mas, mesmo que os roteiros ainda não estejam 100% prontos, que tal dar uma passeada pelo bairro e ver tudo com outros olhos? Sem dúvida será um passeio agradável e cheio de novas descobertas.