Mapa da febre amarela no BrasilSe nessas férias você pretende viajar para os estados das regiões Norte e Centro-Oeste, Maranhão e Minas Gerais ou para o oeste de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Piauí, além do sul da Bahia e Espírito Santo, procure um posto de vacinação e proteja-se. (em vermelho as áreas em alerta)

A febre amarela é uma doença infecciosa transmitida por mosquitos e ocorre na América Central, na América do Sul e na África. No Brasil, a febre amarela pode ser adquirida em áreas urbanas, silvestres e rurais. Ou seja, o indivíduo entra em regiões onde existam os mosquitos que picam uma pessoa infectada e em seguida picam outra que ainda não teve a doença, portanto não adquiriu defesas naturais.

Confira abaixo matéria resumida do O Globo Online sobre o assunto.

Evandro Éboli, Carolina Brígido e Chico Otávio – O Globo

RIO e BRASÍLIA – Após a confirmação da segunda morte por febre amarela em menos de uma semana, o governo decidiu fazer um alerta internacional para que os turistas estrangeiros tomem a vacina contra a doença antes de vir ao Brasil. Os ministérios do Turismo e das Relações Exteriores farão o alerta. O Itamaraty vai avisar embaixadas e representações de organismos internacionais sobre o quadro da doença e pedir que os diplomatas e funcionários se vacinem. (Tem dúvidas sobre a doença?)

Em nota divulgada na terça-feira, o Ministério do Turismo avisou que tomará uma série de providências para garantir a segurança de quem visita o país. Entre as medidas estão enviar comunicados às agências que operam no país e aos escritórios brasileiros de turismos para orientar brasileiros e estrangeiros a se vacinar dez dias antes de viagens a locais de risco. Além disso, serão distribuídos folhetos de esclarecimento aos turistas estrangeiros e brasileiros, em aeroportos, estações rodoviárias e outros locais de acesso de turistas.

Na segunda-feira, o Ministério da Saúde ampliou a recomendação de vacinação contra a febre amarela no Brasil. A Vigilância Sanitária pediu que se vacinem moradores de todos os estados das regiões Norte e Centro-Oeste, Maranhão e Minas Gerais, onde já foi confirmado o primeiro caso de suspeita de febre amarela . Também deve se prevenir quem mora ou vai viajar para o oeste de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Piauí, além do sul da Bahia e Espírito Santo.

Segundo o órgão, essas áreas são consideradas de risco e pessoas que as visitam devem tomar a vacina. Não podem se vacinar crianças com menos de seis meses, pessoas com o sistema imunológico comprometido, que estejam passando por radioterapia ou que sejam alérgicas a ovo. Grávidas devem ser analisadas caso a caso.

Os estados de Tocantins, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo e Mato Grosso estão convocando a população para ser vacinada contra a febre amarela. A medida já havia sido adotada em Goiás, Minas Gerais e no Distrito Federal. Em São Paulo, o medo da febre amarela lotou o posto de vacinação em Cumbica. Nos últimos dias, o movimento em todos os postos de saúde paulistas aumentou.

Secretário diz que há estoques suficientes

O secretário de Vigilância em Saúde, Gerson Penna, garantiu que há estoques suficientes para todas as pessoas que precisarem da vacina. Segundo ele, o Brasil vacina mensalmente 1,4 milhão de pessoas contra a febre amarela, sendo que a produção mensal é de 2,4 milhões de vacinas.

O ministério afirma ter um estoque estratégico para a crise, distribuído em Minas (400 mil), Amazonas (300 mil) e Paraná (300 mil). Desse total, 300 mil já foram remanejados para o Centro-Oeste, área onde a doença começou a se manifestar.

Desde 1942 não há caso de febre amarela urbana no Brasil. De acordo com dados dos últimos 12 anos apresentados pelo Ministério da Saúde, foram notificados no período 349 casos, que levaram à morte de 161 pessoas.

A febre amarela é provocada por um vírus e ocorre em dois ciclos. Nas matas, o macaco infectado transmite a doença para o mosquito hemagogos, que pode contaminar o homem. O risco maior de contaminação ocorre se a pessoa infectada chegar às cidades e ser picada pelo Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue que também pode espalhar a febre amarela.