Quem, no meio do congestionamento ou no stress do trabalho, não sonhou em se teletransportar para uma ilha deserta?

Certo; hoje em dia praticamente não existem mais ilhas desertas, mas certamente existem algumas opções onde se encontra paz, tranquilidade e muita natureza. Veja algumas opções:

1. Ilha do Bananal (TO)

Cercada pelos rios Araguaia e Javaés, é a maior ilha fluvial do mundo. Tem flora e fauna diversificadas porque está num ponto de transição entre a Amazônia e o cerrado. As atrações variam conforme as estações do ano: nas chuvas (de novembro a abril), o território alaga, formando um verdadeiro pantanal que só é possível de explorar de barco. Na seca, a água que recua dá lugar a belas praias. (veja mais sobre Ilha do Bananal)

2. Ilha de Marajó (PA)

Por causa de seu tamanho, é bastante diversa. Marajó mistura praias com Amazônia, campos povoados por búfalos com vilas, tudo isso colorido pelo vermelho das penas do guará – pássaro típico da região. Além das belezas naturais, renda-se ao encanto do artesanato marajoara e das danças inspiradas em manifestações africanas e indígenas. (Veja mais sobre Ilha do Marajó)

3. Ilha do Caju (MA)

A ilha é uma das cerca de 80 localizadas no delta do rio Parnaíba, perto da fronteira do Maranhão com o Piauí. Ela é propriedade de uma família de origem britânica, que resolveu investir pesado na preservação e no ecoturismo. Aproveite para relaxar caminhando por entre as dunas, observe os caranguejos ao explorar os mangues de caiaque, ande a cavalo ou, simplesmente, escolha uma das praias marítimas ou fluviais. (Veja mais sobre Ilha do Cajú)

4. Arquipélago de Fernando de Noronha (PE)

Só foi aberto para o turismo na década de 90 e, ainda assim, com visitação controlada. Não é à toa que esse conjunto de ilhas consegue preservar intacta sua natureza caprichada. Fernando de Noronha é carregado de cores azuis e verdes no mar, emolduradas por praias douradas, rochas e corais. Ali, a vida marinha pulsa e convida a um mergulho. (Veja mais sobre Fernando de Noronha)

5. Arquipélago de Abrolhos (BA)

Esse Parque Nacional Marinho é formado por cinco ilhas e fica no litoral sul da Bahia, na altura de Caravelas. Uma das melhores épocas do ano para o turismo é entre julho e novembro, quando ele recebe a visita das baleias-jubarte. Nesse período em que fazem a reprodução, elas proporcionam um fascinante espetáculo de caudas, acrobacias, barbatanas e cantos. (Veja mais sobre Abrolhos)

6. Ilha Grande (RJ)

À maior das ilhas da baía de Angra dos Reis, só se chega de barco. Para suas belas enseadas, o único caminho são as trilhas. Além das mais de cem praias, Ilha Grande tem Mata Atlântica preservada, rios, cachoeiras e clima de vila de pescadores. Desfrute com mais tranqüilidade fora dos feriados prolongados e da alta temporada, quando o local é invadido por visitantes de Rio e São Paulo. (Veja mais sobre Ilha Grande)

7. Ilha bela (SP)

A ilha é famosa pela prática de esportes náuticos, em especial a vela. A 198 quilômetros de São Paulo, está longe de ser deserta, oferecendo um generoso leque de pousadas e restaurantes charmosos. A costa voltada para o oceano, porém, é marcada por praias selvagens e de difícil acesso, como a do Bonete. Não precisa nem desligar o celular para relaxar: Lá ele não pega mesmo… (Veja mais sobre Ilha Bela)

8. Ilha do Cardoso (SP)

No extremo sul do litoral paulista, essa ilha tem 90% de seu território preservado por um parque estadual. São cerca de 20 mil hectares de Mata Atlântica, cachoeiras, praias, costões, dunas, piscinas naturais e sambaquis (depósitos de conchas). A Ilha do Cardoso é habitada por comunidades caiçaras, de ascendência indígena, que dão as visitantes uma importante lição sobre o relacionamento com a natureza. (Veja mais sobre Ilha do Cardoso)

9. Ilha do Mel (PR)

Acesso limitado, ausência total de carros, nada de iluminação pública. Esses são alguns dos ingredientes que dão sabor rústico à essa ilha do Paraná. Com 35 quilômetros de praias, há areia de sobra para os visitantes se espalharem. Quando o fazer nada à beira-mar parecer insuficiente, encare a trilha até o Forte Nossa Senhora dos Prazeres, que oferece uma vista de perder a voz. (Veja mais sobre Ilha do Mel)

10. Ilha do Campeche (SC)

Localizada a leste da ilha da moda – Florianópolis -, Campeche não oferece a possibilidade de pernoite. Para explorar suas trilhas, só mesmo em bate-e-volta, com monitor credenciado e após o pagamento de uma taxa de preservação. Em meio ao cenário de Mata Atlântica, a ilha de apenas uma praia guarda uma surpresa improvável: dez sítios arqueológicos, com um vasto conjunto de inscrições rupestres. (Veja mais sobre a Ilha do Campeche)

E então? Escolha uma das opções, chame alguém para compartilhar de momentos agradáveis de sossego e boa viagem!

——

Baseado em matéria de Valdiney Pimenta – Portal Terra
Fotos: Marcelo Maestrelli