Vivências e dicas de uma família que adora uma viagem ;)!

Dicas para um roteiro pelo Chile

Como ir, o que levar e o que fazer no Chile?

Reunimos algumas informações e dicas de amigos e blogs de viajantes, no prático estilo “copy/paste”, porque o objetivo aqui é fazer um guia de referência rápida para o planejamento da nossa viagem, para termos uma ideia do que podemos encontrar pelo caminho e decidirmos onde será mais interessante parar quando estivermos na estrada.

O problema disso é que descobrimos tantas coisas pra fazer e tantos lugares que gostaríamos de conhecer no Chile, que só uma “passada” definitivamente não será suficiente. Nesse primeiro esboço de roteiro (porque, claro, cada vez que falamos sobre a viagem, algum atrativo entra ou sai e as rotas mudam), vamos entrar no Chile pelo Estreito de Magalhães. Um canal interoceânico de 583 quilômetros que liga os oceanos Atlântico e Pacífico e faz parte de rotas transoceânicas para o transporte marítimo internacional. A observação da fauna marinha promete um passeio ainda mais bonito.


Exibir mapa ampliado

[styled_box title=”A – Punta Arenas” color=”yellow”]

É a principal cidade da região de Magalhães e ponto de partida mais comum de cruzeiros para a Terra do Fogo, Antártica, glaciares e fiordes.

Para nós, será o local de abastecimento de alimentos, já que não se pode cruzar a fronteira com frutas, vegetais ou produtos de origem animal (e estaremos vindo da Argentina). Além do que, os preços são mais acessíveis que Puerto Natales (nossa próxima cidade).
Claro que também faremos um giro pela cidade e, quem sabe vamos seguir uma tradição: A que se toque ou beije o pé do índio aónikenk do monumento a Magalhães, localizado na Praça de Armas Muñoz Gamero. Dizem que se você faz isso voltará a visitar a Patagonia… será 😉

Tivemos dicas para conhecer também o Museu Regional de Magalhães e tomar um café no subterrâneo, onde antes era o lugar dos serventes desde palácio construído no estilo “art nouveau”, onde é possível ver exposições artísticas e a coleção de objetos e móveis de época da casa fabricados somente com madeira vinda do velho mundo pelo o empresário Mauricio Braun em 1903.

Outro passeio imperdível que está a 65 quilômetros ao norte de Punta Arenas, é a Pinguinera Seno Otway . Entre os meses de outubro e março, os pinguins rumam para essa área para reprodução. Certamente vai render lindas fotos.
[/styled_box]

 

[styled_box title=”B – Puerto Natales” color=”yellow”]

Localizado na beira do canal Señoret, Puerto Natales foi o principal centro de criação no início do século XX e durante anos não foi mais que um lugar de passagem para as expedições ao Parque Nacional Torres del Paine.

Hoje em dia Puerto Natales é um excelente centro turístico onde se desfruta o melhor da gastronomia e um parque hoteleiro bem variado, dos mais simples refúgios aos hotéis de luxo e Spas.

Frequentada por viajantes de todas as partes do mundo que procuram atividades ao ar livre como pesca, atividades náuticas, escalada, hiking, mountain bike, camping, fotografia, caminhadas e trekking, a mais praticada na região.

Dos muitos lugares para se conhecer, vale destacar o Parque Nacional Bernardo O’Higgins e o Monumento Nacional Cueva del Milodón, uma formação geológica de 3 mil anos.

A área estava coberta com um grande glaciar que trouxe seixos para cá e, após se retrair, criou um grande lago que secou, depois a erosão acabou criando a caverna.

Esta caverna foi abrigo de muitos animais extintos, como o milodón.

[/styled_box]

 

[styled_box title=”C – Torres del Paine” color=”yellow”]

O Parque Nacional Torres del Paine é um parque chileno. Está localizado na Região de Magalhães ao sul da Patagonia chilena e é reconhecido internacionalmente como um dos lugares mais belos do mundo por seu relevo, lagos,  fauna e flora.

Um dos maiores pontos turísticos do parque é o Maciço de Paine. O conjunto de montanhas é composto em sua maior parte por rochas de granito, que se uniram há cerca de 12 milhões atrás. O ponto mais alto é o Monte Paine Grande com 3.050 metros sobre o nível do mar. Além das belezas naturais, os visitantes podem fazer caminhadas, cavalgadas, praticar escalada, caiaque, rafting e trekking nas torres do Monte Paine Grande. Entre os animais que habitam a reserva se encontram pumas, condores e raposas. O Parque de Torres del Paine fica a aproximadamente 2.500 km da capital chilena, Santiago.

Nossos amigos Eduardo e Letícia Issa, do projeto Travessia das Américas, fizeram ótimos relatos sobre sua passagem pela América do Sul, com boas dicas de caminhos, condições de estradas e as maravilhas que se pode encontrar pelo caminho.

Para Torres del Paine essa dica é preciosa: …”Partindo de Puerto Natales, há vários caminhos para se chegar ao Parque Nacional Torres del Paine, mas o melhor deles é seguir para Cerro Castillo. Até lá é tudo asfalto e depois segue uma estrada de rípio de 60 km que acabou de ser construída, portanto, está em ótimas condições. Desta forma, você irá andar menos no rípio e nas outras opções as estradas estão esburacadas e mal conservadas.“…

“…Ao amanhecer, já é possível perceber porque Torres del Paine é considerado por muitos aventureiros como o destino mais incrível de toda Patagônia, chilena e argentina. Estávamos de frente para o Lago Pehoé, de cor verde esmeralda com as torres de um lado, montanhas nevadas do outro e o Salto Grande no centro, como descrever esta maravilha, palavras não são o bastante, é preciso estar aqui….” – Nós vamos queridos! 🙂

[/styled_box]

 

[styled_box title=”D – El Calafate” color=”yellow”]
Voltando para o lado Argentino, vamos passar por El Calafate, província de Santa Cruz, ao sul da Argentina é uma cidade pequena e bem estruturada que oferece todo tipo de aventuras ao ar livre. Confira o roteiro pela Argentina. Depois seguiremos subindo pela Ruta 40 até Entrar no Chile novamente, pelo Parque Nacional Villarrica.

[/styled_box]

 

[styled_box title=”E – Parque Nacional Villarrica” color=”yellow”]

Parque Nacional Villarrica é um parque nacional localizado na Província de solda e Província de Valdivia, 12 km ao sudoeste de Pucon , em uma área de grandes vulcões e montanhas atingindo 3.776 m .

O parque dispõe de um centro de ski e área de acampamento de verão. Outras atividades incluem visitas à crateras e cavernas. Dentro do parque estão os vulcões Quetrupillán (2.360 m), o Lanin (3.776 m) e o Villarrica com seus 2.847 metros de altura, famoso por ser um dos mais ativos da América do Sul.

Parque Nacional Villarrica é parte de uma iniciativa binacional que cria um corredor de proteção para a biodiversidade entre o Chile e Argentina.

http://es.wikipedia.org/wiki/Parque_nacional_Villarrica

http://www.gochile.cl/br/parques-nacionais/parques/parque-nacional-villarrica.html

[/styled_box]

 

[styled_box title=”F – Puerto Montt” color=”yellow”]

Puerto Montt, com 110 mil habitantes, está a uma hora e meia de avião de Santiago do Chile (900 km de distância), localizada no fundo de uma ampla baía no Seno Reloncaví, com vista para os vulcões Osorno e Calbuco.

Poderoso centro administrativo, se estende até o vizinho Puerto Varas e possui uma importante indústria pesqueira (salmão e mariscos) e uma boa infra-estrutura de centros comerciais, hotelaria e gastronomia.

É uma cidade portuária e de lá saem os ferrys rumo a Chiloé e as embarcações que percorrem os fiordes de Aysén e Magalhães. Por terra, é o ponto de partida para começar a percorrer a estrada mais charmosa ao sul da região: a  Carretera Austral (Estrada Austral).

Parque Nacional Vicente Pérez Rosales, a 65 K de Puerto Varas, é o mais antigo do Chile. Nele destacam-se o Lago Todos Los Santos, os Saltos do Petrohué, Termas do Callao, o rio Negro, o vulcão Puntiagudo e o Cerro Tronador.

[/styled_box]

 

[styled_box title=”G – Santiago” color=”yellow”]

Subindo pela Ruta 5 passando por lindas províncias, chegaremos em Santiago.

Com arranha-céus modernos, ruas limpas e os maravilhosos Andes como pano de fundo, Santiago do Chile se destaca com uma das mais impressionantes capitais da América Latina. Fora dos limites da cidade, as montanhas oferecem programas como caminhadas e esqui, e os vales de terreno fértil produzem vinhos divinos, o principal produto de exportação do país.

Inúmeras são as dicas do que ver e fazer por aqui. A Adriana Pasello do blog Diário de Viagem, sugere (entre outros posts) o Parque Metrolpolitano – “…Tivemos uma experiência bem bacana no Parque Urbano Bicentenario de La Infacia que oferece 9 mil m2 de áreas verdes e quase 2 mil m2 de brinquedos para as crianças. …  Este parque-playground faz parte do Parque Metropolitano, um velho conhecido nos roteiros com ou sem crianças. É dentro do Parque Metropolitano que estão o zoológico e o mirante do Cerro San Cristóbal, que junto com o Cerro Santa Lucía oferecem as melhores vistas da cidade.” – Dri, ficamos com água na boca de ver nosso Gael correndo por lá. Vamos conferir 😉

Em Santiago, parece que sempre tem alguma coisa pra se ver ou fazer, dependendo da época do ano. No verão é tempo de visitar Valparaíso e Viña del Mar (a pouco mais de uma hora de carro). Durante o inverno,são os centros de esqui, distante a menos de 40 km. E na primavera, as festas pátrias – que dizem – são um deleite para os visitantes … e o outono, ideal para viver as festas da vindima nos vales centrais, com uma taça de bom vinho na mão. Gael fica no suco de uva 😉

[/styled_box]

 

[styled_box title=”H – Ruta 60 – Los Caracoles” color=”yellow”]
E de Santiago, seguiremos rumo norte pela Ruta 57 até a cidade de Los Andes, ainda no Chile, para voltarmos para Argentina pela famosa Ruta 60.

A rodovia se inicia na região de Valparaíso e finaliza na Fronteira com a Argentina.  A partir de Los Andes – de onde a pegaremos – a rodovia segue subindo a Cordilheira dos Andes e, em um trecho conhecido como Los Caracoles, os veículos percorrem 28 curvas em forma de “cotovelo” que terminam a 3500m do nível do mar, no Túnel internacional Cristo Redentor, onde passaremos a fronteira para continuar a viagem pela Argentina, agora pela Ruta 7, até a cidade de Uspatalla. De lá vamos ver se continuamos pela Ruta 7 ou se optamos pela Ruta 13 até Mendoza.

Cuesta Juncal, comumente chamada “Caracoles”, é a parte da CH-60 que antecede a chegada à fronteira

http://pt.wikipedia.org/wiki/Ruta_CH-60

[/styled_box]

 

[styled_box title=”I – Mendoza” color=”yellow”]
Nas bordas da Cordilheira dos Andes, do lado Argentino, encontramos Mendoza que, além de ser um dos mais importantes pontos turísticos da Argentina, recebe o título de “adega da Argentina”, pois a região detém 70% da produção vinícola da Argentina, e ocupa o honroso 5º lugar no mundo! Confira o nosso roteiro previsto pela Argentina.

[/styled_box]
Ufa… e quem tiver dicas sobre lugares imperdíveis, melhores caminhos, dicas sobre qualquer coisa que possa enriquecer a nossa viagem em família, por favor, comenta ai pra gente :)

Para saber sobre outros assuntos interessantes desse planejamento:

Outros links sobre Chile

10 Comments

  1. Jair Dikman's Gravatar Jair Dikman
    9 de agosto de 2013    

    Muito bacana seu site; sempre que posso dou uma passada por aqui. Hoje mesmo estava pensando em descer até Ushuaia e retornar margeando o Chile em direção a Santiago. Por isso já estou colhendo subsídios para esta futura viajem.
    Minha maior preocupação é com relação ao frio, que não gosto muito, mas é preciso tolerar certas coisas se a situação exige. Melhor pesquisar bastante sobre roupas de baixo e casacos como você citou.
    Abraço e sorte paras vocês pelas andanças por este mundão.
    Jair Dikman

    • marco's Gravatar marco
      30 de outubro de 2014    

      estive fazendo o cruce dos lagos ano passado e agoraem agosto fui a ushuaia.nao fique com medo do frio,basta usar uma boa bota para a neve,meias ,cachecol,luva,touca,e tomar um vinhozinho bom,deve usar uma segunda pele pois bloqueia todo o frio,o resto e deixar andar por estas terras maravilhosas,nao compre artesanato em ushuaia ,compre em calafate tem tudo que e bom…

  2. RICARDO FERRARI's Gravatar RICARDO FERRARI
    15 de agosto de 2013    

    Olá pessoal,
    Adorei as dicas, muito bom mesmo.
    Mas tenho umas perguntas pra vocês:
    Com a aproximação da copa do mundo será que teremos muitos torcedores brasileiros ou estrangeiros viajando com seus motorhomes pelos nossos estados? Estamos preparados pra isso??? O que vocês acham? Conhecem muitas pessoas que estão pensando e fazer isso?
    Abraços
    José

  3. Odilon Silva = RJ's Gravatar Odilon Silva = RJ
    24 de janeiro de 2014    

    Muito bom, parabéns.

  4. Thiago Cesar Busarello's Gravatar Thiago Cesar Busarello
    13 de fevereiro de 2014    

    Muito bacana. Sinto que o Chile está cada vez mais perto de mim. Ainda não conheço o país, mas tenho um desejo muito forte e sempre que posso leio à respeito para sair do Brasil afinado sobre os melhores lugares para ir e todos os cuidados que precisarei ter.

    • 7 de abril de 2014    

      Oi Thiago,
      Obrigada por passar por aqui e que bom que pudemos contribuir.
      Por inúmeros motivos, ainda não conseguimos realizar esses posts da categoria Planejamento e outros tantos que não foram postados, mas estamos no caminho 😉 Quem sabe a gente se encontra por ai?

    • marco's Gravatar marco
      30 de outubro de 2014    

      ola tudo bem,va ao chile sem receio,deve se procurar entendero cambio pois o peso chileno vale mais que o real,e e cheio de zeros,os garçons te atendem mal ,o espanhol e mais rapido,nao deixe de conhecer o mercado central de santiago,e comer o caranguejo gigante,200 reais vale a pena ,buena sorte.

  5. Mercado Viagens's Gravatar Mercado Viagens
    22 de julho de 2014    

    O triathlon de Pucon, que costuma ocorrer no início do ano, é uma ótima “desculpa” para atletas conhecerem essa região fantástica do Chile! Jóia esse post, vamos recomendar o blog a nossos clientes!

  6. Davi Lima's Gravatar Davi Lima
    27 de agosto de 2014    

    Ótima dicas. Vou para o Chile e Venezuela em outubro. Alguém pode me indicar um bom seguro viagem? Abç

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *