Vivências e dicas de uma família que adora uma viagem ;)!

Seja você também um Viajante Consciente

Aquecimento global, desmatamento, falta de água, energia, não temos mais onde colocar o nosso lixo e outros tantos problemas… uma coisa é certa: Nosso planeta está quente e nossas florestas (leia-se recursos naturais) estão literalmente vindo abaixo.

A lista de problemas é enorme e o grande responsável por tudo isso é o homem.

O turismo também pode colaborar para o desmatamento, o consumo desenfreado de água e energia, a exploração do trabalho, a extinção de culturas e tradições em nome do “padrão de atendimento” nos destinos turísticos e por aí vai…

Mas calma. Temos uma boa notícia: é possível, sim, fazer turismo de uma forma mais consciente, minimizando os impactos ambientais, contribuindo para o desenvolvimento e preservando nossa história.

Confira as dicas abaixo:

Harmonia entre meio-ambiente e o homem

Conheça a história os costumes e a cultura da região visitada.

Finalmente as férias! Saia da rotina e permita-se novas experiências. Aprenda sobre uma região, um povo, uma cultura.
Preserve o patrimônio natural e cultural da região. Lembre-se de que turista é visita, então comporte-se como uma boa visita para sempre ser bem-vindo.

Valorize o artesanato produzido por pessoas da comunidade local.

Cada região tem suas características e influências de colonização, recursos naturais e, portanto, material disponível para determinado tipo de artesanato.
Valorize isso. Conheça o artesanato da região e compre! Dessa forma você contribui para que o artesão possa viver dignamente de seu trabalho, faz com que a tradição e a cultura sejam preservadas e de quebra dá uma força para o aquecimento da economia da região. Mas atenção: procure saber se o artesanato exposto em uma banca da Praia do Forte, na Bahia, é mesmo baiano ou se foi fabricado na Índia, por exemplo.

Experimente a culinária típica, os aromas e os sabores da região visitada.

Tem coisa mais gostosa do que provar uma nova fruta, um novo tempero… e descobrir que é uma delícia? Ou até que nem é tão bom assim? O mais gostoso dessa experiência é a descoberta. Experimente.

Pratique as atividades de aventura com a máxima segurança.

Prefira serviços de uma empresa que faça parte do Programa Aventura Segura do Ministério do Turismo ou que seja associada a ABETA – Associação Brasileira de Empresas de Turismo e Aventura. Por que?
Porque essas empresas estão passando um rígido processo de qualificação e certificação e certamente estarão aptas a levá-lo para um rapel, ou rafting ou qualquer outra aventura com segurança.

Trate os moradores da região com cortesia e respeito.

Respeite hábitos diferentes dos seus e aprenda com eles. Experimente conversar com os mais velhos da região. Certamente descobrirá histórias que não estão nos livros e estórias que podem render best selers.

Traga sempre seu lixo de volta – na praia, nas trilhas ou mesmo na cidade.

Não deixe saquinhos por ai, na margem das vias, ou ao longo das trilhas. Ninguém vai recolher o que deixarmos para trás. Mesmo os parques com boa infra-estrutura não conseguem manter sistemas de coleta nos lugares mais afastados.
Nas trilhas, enterrar o lixo também não é uma opção. Resíduos sólidos como plástico, vidro, metais ou até mesmo papel, levam muito tempo para se decompor e resíduos orgânicos, como restos de alimentos podem ser facilmente cavados e ingeridos por algum animal ou, no caso das sementes e bagaços de frutas, germinar. E a maioria de nós gostaria de ir para uma mata e encontrá-la o mais próximo do natural possível.

Sempre que possível deposite seu lixo em locais apropriados para a coleta seletiva.

As lixeiras para coleta seletiva geralmente são coloridas. Cada cor representa um tipo de lixo e a informação sempre está escrito em lugar visível. Então, preste atenção para não jogar sua latinha na lixeira dos plásticos.
Se não encontrar uma lixeira de coleta seletiva, cobre das administrações dos hotéis, pousadas ou parques para que providenciem lixeiras adequadas.

Economize água e energia. Esses recursos já são escassos em vários lugares.

Se você já economiza água e luz em sua casa, faça o mesmo quando estiver hospedado em outras cidades. Nos hotéis ou pousadas, aceite a sugestão de não trocar as toalhas todos os dias. Essas ações são para economia sim. Maior que a economia financeira é a economia de recursos. Em alguns destinos como Florianópolis, por exemplo, os moradores sofrem com a falta de água e luz em época de temporada.

Prefira meios de hospedagens preocupados com a sustentabilidade da região

Já existem hotéis e pousadas cujo principal atrativo é ser um estabelecimento sustentável, onde as atividades de entretenimento estão voltadas para a natureza e sua preservação. Mas, qualquer empresa de hospedagem também pode ter atitudes responsáveis, como a coleta seletiva de lixo, o uso racional de água e energia, contratação de mão de obra local. Procure saber se o hotel que você escolheu adota esse tipo de prática ou ainda, se faz parte do Programa Bem-Receber do Ministério do Turismo.

O Turismo feito de forma Responsável
garante a sustentabilidade do destino visitado
.
É bom para o turista
É bom para a comunidade
É bom para o Brasil

PARTICIPE!

[youtube]http://br.youtube.com/watch?v=pJHBzGip6fQ[/youtube]

Foto deMarcelo Maestrelli e Rico (Arara)

No Comments Yet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *