A China tem mostrado alguma preocupação em receber turistas ocidentais com hábitos e cultura tão diferentes. Proibir que a população cuspa em vias públicas e proibir a venda de carne de cachorro para consumo são algumas das providências tomadas.

Certamente o turista vai encontrar uma China “para inglês ver” e toda a atenção, claro, será em torno das Olimpíadas.

E, se você tem intenção de viajar para a China e acompanhar as olimpíadas em Pequim, que começam no dia 8 de agosto, o Ministério da Saúde fez uma lista dos cuidados necessários para que o brasileiro embarque sem aborrecimentos.

VACINAÇÃO

É preciso estar em dia com as seguintes vacinas: tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola), difteria, tétano, hepatite B e febre amarela. No caso da febre amarela, a entrada no país só é permitida com a apresentação do Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (veja abaixo).

Quem precisar se vacinar deve buscar postos de saúde da rede pública do SUS, que emitem certificados nacionais. Dez dias ou até seis semanas é o tempo que a maioria das vacinas leva para fazer efeito.

Para a emissão do Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia, procure um dos Centros de Orientação ao Viajante da Anvisa relacionados em lista anexa. Há centros em quase todos os portos e aeroportos do país. Para um atendimento mais rápido nesse local, você deve primeiro se cadastrar no Sistema de Informações de Portos, Aeroportos e Fronteiras, que pode ser acessado no endereço: www.anvisa.gov.br/viajante.

PREVENÇÃO DE DOENÇAS

Na hora de se alimentar, prefira os alimentos industrializados e evite comidas exóticas, principalmente, de origem animal. Também evite locais (cidades, matas, beira-rio etc.) com grande quantidade de mosquitos que podem transmitir doenças graves. Se for a um desses lugares, faça uso de roupas de mangas compridas e repelentes. Mantenha-se longe de aves vivas ou abatidas em granjas ou mercados públicos.

Como a raiva animal é um importante problema de saúde pública na China, caso sofra agressão por mamíferos domésticos ou silvestres, lave a área com água e sabão e procure atendimento médico. Retornando ao Brasil, procure imediatamente um posto de saúde, relate o ocorrido e envie e-mail para notifica@saude.gov.br.

AVALIAÇÃO MÉDICA

Longos períodos de imobilidade durante o deslocamento e o próprio desgaste da viagem podem diminuir a resistência do organismo. O viajante deve obter receituário completo para qualquer medicamento que necessite levar. Leve também informações de tipo sanguíneo, doenças e alergias junto ao passaporte para facilitar o atendimento médico em caso de emergências.

Caso necessite de alguma informação, o endereço da Embaixada do Brasil em Pequim é:
27, Guanghua Lu – Chaoyang District, Beijing – 10060.
Tel: (8610) 6532 2881 / Fax: (8610) 6532 2751 (www.brazil.org.cn)

TRANSPORTANDO MEDICAMENTOS E PRODUTOS PARA USO PRÓPRIO

Lembre-se de levar na bagagem de mão (nunca na mala), quando for o caso, os medicamentos para hipertensão, diabetes e asma e os medicamentos de uso regular para dor de cabeça e febre, além de um kit de primeiros socorros para ser usado durante toda a viagem. A entrada de quaisquer medicamentos de uso pessoal em outros países poderá sofrer fiscalização sanitária. Obtenha a prescrição médica da quantidade de medicamentos necessária para sua estadia.

Devido às normas de segurança aérea, é permitido levar como bagagem de mão apenas os seguintes pertences:

  • mamadeiras e alimentos infantis industrializados (quando bebês e crianças estiverem viajando);
  • medicamentos essenciais acompanhados de prescrição médica (deverá possuir o nome do passageiro);
  • medicamentos essenciais que não necessitam de prescrição médica (colírio, solução fisiológica para lentes de contato etc., desde que não excedam 120ml ou 4oz);
  • insulina e líquidos (incluindo sucos especiais ou gel) para passageiros diabéticos acompanhados de prescrição médica, desde que não excedam 148 ml (ou 5 oz);
  • cosméticos sólidos (batons, protetor labial ou desodorante em bastão etc.).

SEGUROS DE SAÚDE

Contrate um seguro particular internacional de saúde. Após o retorno da viagem, caso apresente febre ou outros sintomas como diarréia, problemas de pele ou respiratórios, procure imediatamente o serviço médico e informe o trajeto de sua viagem.

Procure identificar junto à Secretaria Estadual de Saúde ou Municipal as referências para doenças infecto-contagiosas e/ou ambulatórios de saúde do viajante em seu estado ou município.

Acesse a relação de Postos da Anvisa para retirar Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (PDF).

Outras informações
Atendimento ao Cidadão
0800 61 1997 e (61) 3315 2425

Depois de tomadas essas providências, cuidados e, apesar das posições políticas e (des)humanitárias da China, procure conhecer melhor o pais, a cultura e entender melhor aquele povo tão distante de nós. E… importante: Torça muito pelo Brasil e procure deixar uma boa impressão brasileira por lá 😉

:::

Fonte: Ministério da Saúde