Vivências e dicas de uma família que adora uma viagem ;)!

MS Bonito – Gruta do Lago Azul – ótimo passeio, imperdível na época certa.

Os atrativos naturais em Bonito devem ser reservados em agências credenciadas, com antecedência, porque alguns deles são bem concorridos. A Gruta do Lago Azul é um exemplo. Principal cartão postal de Bonito tem a quantidade de visitantes diários rigorosamente controlada.

A Gruta fica a 22 km (18 km de terra) de Bonito. A recepção é bem estruturada e conta com lanchonete, toiletes, área de descanso externa, sala para instruções e uma pequena lojinha de souvenir.

O atrativo foi descoberto em 1924 por um índio Terena e tombado pelo IPHAN como monumento natural em 1978. Por causa das dimensões do lago, a gruta leva o status de ser uma das maiores cavidades inundadas do mundo. E, de fato, nos surpreendemos com as proporções grandiosas da caverna, pois estávamos habituados a ver imagens que mostravam apenas o lago azul. As estalactites e estalagmites formam desenhos curiosos, além de contar a “história” do nosso planeta a cada camada calcificada.

O lago também revela surpresas; sua profundidade é desconhecida e o máximo que um mergulhador já desceu, segundo nosso guia, foi 90 metros. Ele conta ainda que a idade estimada da gruta é de 10 milhões de anos e que ali foram encontrados fósseis de animais pré-históricos como uma preguiça gigante e um tigre dente de sabre.

A melhor época para visitação é entre meados de Novembro e meados de Janeiro, sempre pela manhã entre 7:40 às 9:00 quando o sol ilumina bem a entrada da gruta, tornando o azul do lago ainda mais intenso, criando uma atmosfera quase mágica. Mas isso não impede a visita em outras épocas. Claro que o espetáculo não será tão exuberante assim, mas é sempre uma experiência.

A Caverna tem dois acessos, um onde a chegada ao lago é pelo lado esquerdo (que estava em manutenção) e proporciona ângulos mais bonitos do lago. E o outro chega pelo lado direito – que é o que fizemos (a manutenção estava prevista para durar 3 meses -a partir de janeiro, então agora o fluxo deve estar mais tranquilo).

Quanto mais descemos, mais escuro vai ficando e mais friozinho também. Em vários trechos tivemos que esperar até que um grupo passasse por nós, subindo as escadas de volta. Momento que nosso guia aproveitava para contar mais curiosidades sobre a caverna. Para crianças que muitas vezes não “percebem” as nuances e a importância das formações rochosas explicadas com tanto empenho pelos guias, o passeio acaba ficando meio demorado e um pouco chato.

Área externa da recepção, com muitos totens informativos e bancos para descanso.

Hora de nos equiparmos. Cada um recebe uma toquinha para evitar o contato direto com o capacete.

Nosso guia conduz o grupo numa pequena caminhada até "os portões" da Gruta.

Aqui, passado o portão (de verdade), nosso guia nos orienta sobre como devemos nos comportar durante a descida. Cuidados com equipamentos fotográficos e com as pessoas. Alerta sobre o chão escorregadio e inicia as informações sobre a Gruta.

O inicio da descida é bem estreito.

Seguimos devagar e ajudando quem precisa.

A beleza da mata fechada, o cheiro de terra molhada e o friozinho gostoso de saber que estamos no "meio do mato"..., isso não deu pra registar na foto. Vamos descendo...

Aqui já dá pra ter uma noção da grandiosidade da Gruta.

Paradinha para descanso

... e para fotos. Existem alguns "mirantes" onde o guia conta detalhes sobre a gruta, suas características, curiosidades e onde é possível passar um tempinho fotografando.

E vamos descendo...

E aprendendo sobre geologia, estalactites (essas do teto) e estalagmites.

Não, não é o tal fóssil do bicho preguiça.... também não é do tigre dente de sabre. Esse é (era) um cateto (um "parente" do porquinho) que foi se proteger (ferido ou doente) dentro da gruta e por ali ficou. As crianças gostaram de ver e imaginar histórias sobre o assunto.

Finalmente chegando. Já é possível ver alguma coisa parecida com um "lago azul" naquela escuridão da gruta 🙂

A concorrência era grande para fotos no melhor lugar do mirante...

Os equipamentos "normais" não ajudam muito na hora de capturar o pouco que conseguimos ver da água cristalina e azul do lago...

Mas, uma nuvem camarada resolveu sair e deixar a claridade do sol entrar um pouquinho. Até que deu pra fazer boas fotos...

... e ter uma vaga ideia da beleza que deve ser esse lago com a luz do sol incidindo diretamente sobre ele 🙂

Então, nossa recomendação é que, procure reservar esse passeio entre novembro e janeiro, pela manhã. E lembre-se de que quem determina se o sol vai estar presente ou não é a mãe natureza 😉

[styled_box title=”Dica:” color=”yellow”]

  • Não se pode entrar na gruta de chinelo, sandália e outros calçados abertos. Vá de tênis ou calçado fechado e antiderrapante.
  • Vale a pena levar repelente.
  • Procure reservar o passeio para a melhor data. Se não for possível, reserve para o período da manhã 😉
  • Para reservas, recomendamos a Agência da Pousada do Peralta.

[/styled_box]

[box style=”” type=”info_box”]
Pousada do Peralta

Rua Ari Silva Machado, 500 – Bairro Formoso
Bonito – MS

(67) 3255 1901 / 9986 4711 / 9971 8207
www.PousadadoPeralta.com.br

Importante: A Pousada do Peralta, além dos quartos privativos, restaurante para o café da manhã, área de lazer, piscina, infra-estrutura para motorhomes e camping; tem também a Agência Peralta, onde você pode se orientar sobre tudo o que tem pra fazer em Bonito e já garantir os vouchers para os passeios que mais combinam com seu estilo.

[/box]

Similar posts

No Comments Yet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *