Como muitos já sabem, viajávamos com um Ford Courier que “adaptamos” pra passarmos a noite nele se necessário… mas não foi lá muito bom. Relatamos isso no post De volta a estrada em Santo Amaro da Imperatriz/SC.

Nosso sonho sempre foi ter um motor-home, mas eles custam muuuuuito caro pro nosso bolso, além de precisar de carta especial dependendo do tamanho.

Daí pesquisamos um pouco e vimos que na Austrália, Alemanha e Inglaterra eles usam Kombis adaptadas pra viajar. São as Camper Vans.

Então, deixamos o preconceito de lado e trocamos nossa Courier por uma Kombi 2006 Flex.

Agora estamos em Itu, na Rody Trailer, para montar a primeira KombiHome do Brasil.

Assim, quando estivermos em alguma cidade turística, não vamos mais depender de permutas ou cortesias para hospedagem.

Nosso trabalho vai continuar normalmente (fazemos sites para pousadas e hotéis), afinal a gente precisa pagar as contas como todo mundo. E pra trabalhar só precisamos de eletricidade que teremos em campings, postos rodoviários ou na própria KombiHome (por enquanto, através de uma segunda bateria que também é carregada pelo alternador do carro – futuramente pretendemos ter energia solar) e internet (que temos pela Tim agora).

A outra novidade, que já experimentamos na Adventure Sports Fair que rolou em Sampa no mês de Setembro, é transmitir ao vivo pelo celular direto pro blog.

Queremos levar vocês pra viajar conosco, na estrada, na cachoeira, na trilha, conversando com o pescador, no alto da montanha, enfim… toda nossa vivência a gente quer transmitir via celular.

Para acompanhar as transmissões é só acessar a página www.vidadeviajante.com.br/aovivo

Transmitimos pelo qik, que mantém o histórico das transmissões. Assim, se não estivermos ao vivo quando você entrar, pode escolher assistir nossas últimas gravações.

O resumo da ópera é: queremos viajar, sem deixar de trabalhar, queremos compartilhar nossas experiências (no blog e ao vivo) com todo mundo pra que todo mundo também queira viajar mais, melhorar sua qualidade de vida, viver novas experiências e, quem sabe, perceber que hoje existem profissões ou funções onde você não precisa estar em um grande centro urbano ou fechado em um escritório pra realizá-la, que você não precisa “sacrificar” sua vida esperando a aposentadoria chegar pra “viver” 😉

Uma curiosidade:

Quando fomos de Floripa para Itu, viajamos em dois carros: o Marcelo levando a Kombi e eu levando a Courier para o novo dono que é de Itu também.

Em determinado trecho da estrada, pegamos uma serrinha de Juquiá para Sorocaba. O tempo estava nublado e meio garoando, a serra era estreita e cheia de curvas. Ao lado, a mata atlântica exuberante dividindo espaço com alguns moradores da região e suas plantações de bananas e algumas culturas de subsistência.

No início estávamos devagar porque um caminhão estava na frente, mas quando ele saiu, continuamos devagar curtindo a estrada e as paisagens. Ao final da serra, quando paramos num posto pra abastecer, falamos ao mesmo tempo sobre o quanto foi bom a gente ter ido devagar naquela estradinha linda, curtindo a viagem. Nós dois, em carros separados e em sintonia no mesmo pensamento 🙂

Fizemos uma analogia com a vida que queremos levar: Que enquanto a maioria corre nas estradas para chegar logo no destino (a aposentadoria), nós preferimos ir devagar nas estradas (da vida), curtindo as paisagens para quando chegarmos ao destino, termos histórias e vivências pra dividir.