Vivências e dicas de uma família que adora uma viagem ;)!

PR Morretes – Parque Estadual Marumbi

De manhã, bem cedinho, para a nossa alegria, avistamos pela janela, em frente a nossa mesa de café da manhã, o conjunto de montanhas do Marumbi. Lindo, imponente, com o pico iluminado pelos primeiros raios do sol… assim o café fica até mais gostoso.

O ponto de encontro para a saída do passeio do dia, era o Santuário Nhundiaquara, onde estavam hospedados nossos amigos da Família Muller. Chegamos lá e eles ainda estavam terminando o café da manhã, e lá eles também tinham um presente especial: as mesas onde os hóspedes tomam o café da manhã são rodeadas de passarinhos super atrevidos, que chegavam bem pertinho e pareciam não temer a nossa presença. Nossos dedos não conseguiam parar de fotografar e filmar.

Café da manhã no Santuário, com a companhia dos passarinhos

Às 9h chegou o Celso, da operadora Calango Expedições, para nos levar ao Parque Estadual do Marumbi. Ficamos muito felizes ao ver que a Calango é associada à ABETA (Associação Brasileira das Empresas de Turismo de Aventura) e participa do Programa Aventura Segura – com isso sabíamos que estávamos em “boas mãos”.

Para se chegar à Sede do Parque a partir do centro são 6km de asfalto até o bairro de Porto de Cima e, a partir deste ponto, são mais 7km de terra. Os últimos 3km são bem precários e íngreme – não indicado para veículos de passeio. Fomos com uma Pickup Rural até o início da subida mais forte e, a partir deste ponto, seguimos a pé. Percorremos o início do Caminho de Itupava, reparando em detalhes, caminhando devagar, curtindo as belas paisagens.

Na Estação Engenheiro Lange, paramos para descansar, tomar um lanche, ver o movimento dos trens, e esperar nossos amigos da Família Muller. Neste ponto, Celso nos contou mais sobre a estrada de ferro e o passeio de trem que desce a Serra da Graciosa de Curitiba à Morretes. Infelizmente não tivemos a oportunidade de fazer esse passeio, mas, pelo que soubemos, é absolutamente imperdível! Claro que voltaremos lá e faremos esse passeio.


Descanso e lanche na estação Engenheiro Lange

Outra coisa que descobrimos ali foi que o Celso e os outros proprietários da Calango Expedições são nativos de Morretes – por isso, além da história tradicional de Morretes, ele acrescenta experiências de vida nas suas explicações sobre as trilhas e o Parque. Isso enriquece em muito o nosso passeio. Sabia que uma das formas de se fazer Turismo de forma Responsável, é contratando uma empresa de guias nativos da região? Isso assegura trabalho aos nativos e contribui com a sustentabilidade da região.

Subindo para a Sede do Parque | Trilhas do Conjunto Marumbi

Nossos amigos chegaram, atravessamos os trilhos do trem, e seguimos pela trilha por mais meia hora até a Estação Marumbi, onde funciona a Sede do Parque.

Ali, além das casas de controle do trafego ferroviário, pudemos visitar o Museu do Marumbi, conhecer o trabalho do Grupo COSMO – o grupo de resgate em montanha, que dá apoio aos montanhistas e turistas que visitam o Parque – , e ver o mapa de todos os picos que fazem parte do Conjunto Marumbi., onde o Celso nos explicou sobre todas as trilhas e nos mostrou a que faríamos neste dia: Morro do Rochedinho – uma das mais leves, com duração prevista de 40 minutos até o cume.

Antes de iniciarmos a trilha, foi preciso fazer um cadastro na Sede do Parque – exigência da administração que, para nossa segurança, monitora todos os visitantes que fazem caminhadas por ali. No cadastro, os turistas informam seus dados e as trilhas que pretendem fazer. Se houver qualquer problema, eles chamam o COSMO para buscar os visitantes que não retornaram.

Estação Marumbi e sede do Parque

É importante frisar que apreciamos muito uma mensagem que vimos na entrada do Parque, onde uma placa nos convidava a abrir a tampa de uma caixa de madeira para conhecermos quem é o responsável pela limpeza do parque e, ao olharmos lá dentro, o que vemos é a nossa imagem refletida num espelho. Vamos cuidar do que é nosso. Se cada um fizer sua parte, as belezas que vemos por aí podem ser preservadas para gerações futuras.

No Parque, cada trilha tem uma cor e é marcada com fitas coloridas amarradas nas árvores. Isso é por segurança em caso de emergência. Nossa recomendação é que você sempre vá acompanhado de um guia especializado – de preferência, nativo.

ossa trilha foi tranqüila e, sempre que víamos algo diferente, o Celso parava e nos explicava sobre a vegetação. Paramos um pouco para um breve descanso à beira de um riacho e, depois de mais uma subidona, chegamos ao cume do Morro do Rochedinho!

Rony Miller e eu saudando o cume do Morro do Rochedinho, contemplando as montanhas mais altas do Conjunto Marumbi

De lá a vista era magnífica: podíamos ver a Estação Marumbi lá embaixo, onde iniciamos a caminhada; e o imponente do Pico do Marumbi, com alguns escaladores se aventurando em seus paredões. Do outro lado a vista avançava até o litoral do Paraná e, de repente, atrás de nós o trem apitava forte descendo a Serra da Graciosa serpenteando por trilhos que sumiam nos túneis e logo reapareciam do outro lado para conduzir os vagões sobre as enormes pontes metálicas.

Ali tínhamos paz, liberdade, realizações, felicidade, euforia, cansaço, e… fome! Sentamos no chão, abrimos as mochilas, e cada um tirou o que tinha para dividir com os outros. Foi uma delícia!
Às 15h30 nosso Guia Celso nos chamou para já iniciarmos a descida, pois nessa época o fim da tarde chega rápido e esfria bastante. Lá fomos nós, montanha abaixo.
Depois de um banho na Pousada Oásis, onde estávamos hospedados, fomos dar um passeio pelo centro da cidade.
 

[box type=”info_box” style=”box_light_gray”]
Confira aqui os Hotéis, Pousadas, Agências e Restaurantes que recomendamos em Morretes.
[/box]

[styled_box title=”Veja também os posts sobre os passeios que fizemos em Morretes:” color=”white“]

[/styled_box]

Similar posts

17 Comments

  1. lauriano's Gravatar lauriano
    27 de fevereiro de 2008    

    preço de rafting em morretes ,preço ,e algum telefone que possa ligar pra falar sobre fazer ,valores,datas ,etcs

  2. Viajante Consciente's Gravatar Viajante Consciente
    27 de fevereiro de 2008    

    Olá Lauriano,

    Vc pode ver na página [http://viajanteconsciente.com.br/destinos/morretes-hospedagens-restaurantes-passeios/]
    os endereços e telefones da agência e hotéis que recomendamos.

    Importante lembrar que se vc vai fazer uma atividade de aventura, certifique-se de que a operadora que vai te levar faz parte do programa Aventura Segura ou é associada a ABETA (a Calango é associada). Dessa forma vc tem certeza de que seu passeio será seguro.

    Abs

    Lyanne Rehder & Marcelo Maestrelli

  3. emerson tavares's Gravatar emerson tavares
    18 de abril de 2008    

    Olá, sou aluno de gestão ambiental da FATEC, nos estamos desenvolvendo um projeto para mitigação dos impactos no solo(nas trilhas) causados por visitantes. Apenas gostaria de saber se vocês poderiam nos fornecer alguns dados reais das trilhas mais impactadas e das menos impactadas.
    Desde já grato Emerson Tavares

  4. 21 de abril de 2008    

    Olá Emerson,

    Infelizmente não temos esses dados, mas podemos recomendar fontes para sua pesquisa.

    Tem a empresa EcoVenture (www.ecoventure.com.br) que apoiou o Projeto Turismo Responsável. Eles são uma empresa de consultoria e implementação de atividades de aventura, e, entre outras atividades, eles fazem estudos detalhados do meio ambiente para implementação e manejo de trilhas.

    Em Morretes há também a Calango Expedições que é a operadora que nos recebeu. Eles tem um relacionamento estreito com os biólogos e gestores do Parque do Marumbi que podem te dar informações também.

    O contato da Calango está no link “Hotéis, Pousadas, Agências e Restaurantes” no final desse post.

    Abs e bom trabalho.

    Lyanne Rehder e Marcelo Maestrelli

  5. 14 de julho de 2008    

    oi pessoal eu adoraria subir o pico ja ouvi falar que é lindo,estouvendos todas as fotos que estão desponivel achei o maximo se puder me ajudar com um oessoal que saiba conducir eu adoraria .Faço esse passeio com amor e amo a natureza sentir essa maravilha,é de Deus aguardo resposta bjus

  6. 16 de julho de 2008    

    Olá Leticia!

    Lá é lindo mesmo.

    Quem nos guiou em nossos passeios por Morretes foi o Celso, da Calango Expedições. Ele é montanhista e tem muita experiência em guiar.

    Procure por eles quando estiver em Morretes. A agência fica na estação de trem, não tem erro 😉

    Abs
    Lyanne Rehder e Marcelo Maestrelli

  7. Mauro's Gravatar Mauro
    30 de novembro de 2008    

    Parabéns pelo relato e fotos!

    Estou doido pra fazer essas trilhas do Marumbi!

  8. 1 de dezembro de 2008    

    Mauro 😀

    A trilha é muito bonita e super preservada. Recomendo que vá com a Calango Expedições. Eles são montanhistas experientes.

    Não esqueça hein, depois volta aqui e nos conta como foi

    abs

  9. Audrey's Gravatar Audrey
    2 de dezembro de 2008    

    Ola galera! Gostaria mto de saber eh preciso fazer alguma reserva para visitar o parque, e se existe algum hotel la perto…Revendo algumas fotos antigas vi uma da minha mae em sua ultima viagem, ela veio a falecer um mes depois, queoro muito poder sentir a mesma emocao q ela…E outra coisa, fica perto de uma cidade chamada “Santa felicidade”? Desde ja agadeco a atencao…

  10. 3 de dezembro de 2008    

    Oi Audrey,

    Para visitar o parque é necessário um guia, de preferência um guia local. Recomendamos o Celso da Calango Expedições ( http://www.ecoviagem.com.br/agencia-turismo/parana/morretes/calango-expedicoes.asp )
    Sobre hospedagem, veja aqui as que conhecemos quando estivemos lá: http://www.vidadeviajante.com.br/morretes-hospedagens-restaurantes-passeios/ se vc puder, escolha o Santuário Nhundiaquara que é ma-ra-vi-lho-so. É lá que os pássaros vem comer na mesa junto conosco, sem a menor cerimônia – hahaha.

    Sobre Santa Felicidade, não é uma cidade, e sim um bairro bem conhecido de Curitiba… perto de Morretes.

    Veja mais fotos e vídeos que fizemos em Morretes ( http://www.vidadeviajante.com.br/category/destinos/pr-morretes/ ) e aproveite bem sua viagem.

    Volte aqui e nos conte como foi, ok?

    Ahs
    Lyanne e Marcelo

  11. LOBO's Gravatar LOBO
    17 de fevereiro de 2009    

    gOSTARIA DE SABER SE EXISTEM UMA TRILHA PERDIDA? NUMA CACHOEIRA TIPO DA FADA E MISTREIOSA?
    Será que tem que incluir com um guia experiente?

    Aguardo retorno

  12. 17 de fevereiro de 2009    

    Oi Lobo,

    Sabe que aconteceu um fato intrigante quando estávamos na trilha da Cachoeira Salto da Fortuna? Eu estava iniciando a travessia do rio, quando uma borboleta enorme daquelas azuis (que infelizmente a gente só vê em museus) ficou me rodiando. Estávamos em seis e eu tentava chamar a atenção dos outros sem espantar a borboleta (eu ADORO borboletas). Ninguém me deu atenção porque estavam discutindo se a tal cachoeira estava muito mais longe ou não… então a borboleta pousou bem segura em minha perna. Fiquei em êxtase! Logo depois saiu voando novamente. Esse momento acabou sendo flagrado por um video maker que estava no grupo 😉

    Lá existem muitas trilhas e muitas histórias de trilhas secretas que escravos percorriam. Certamente o pessoal da Calando Expedições (que foi quem nos guiou nos passeios) deve saber de alguma.

    Ah, é SEMPRE melhor que vc faça suas trilhas com um guia, de preferência um guia local. Melhor pela segurança, melhor porque vc aprende sobre o local e melhor porque vc contribui pra sustentabilidade da região contratando mão de obra local 😉

    abs

  13. Andersom cachile's Gravatar Andersom cachile
    11 de outubro de 2011    

    Ja faz 2anos q nao subo mas to voltando pa esse paraiso

    • 28 de outubro de 2011    

      Faz bem Anderson. Tbém estamos com saudades e assim que nosso pequeno encarar caminhadas maiores vamos passear por lá novamente 😉

  14. patricia's Gravatar patricia
    23 de setembro de 2012    

    Ola, adorei o site, você escreve muito bem, parabéns! Vou tirar férias em dezembro e estou louca para acampar, e em outros blogs me indicaram Morretes, vocês viram alguem acampando??? Abraços

    • 25 de setembro de 2012    

      Olá Patrícia,

      Obrigada pelas palavras 🙂
      Quando estivemos por lá não visitamos várias pousadas e hotéis, mas nenhum camping. Morretes é bem turístico e deve ter boas opções por lá. Vale a pena pesquisar 😉
      Boa viagem e abs

  15. Gabriella dos Santos's Gravatar Gabriella dos Santos
    16 de outubro de 2014    

    Oii, muito bom o blog de vocês..
    eu acampei no pico do gigante um dos conjuntos do parque. Muito lindo lá, fomos sem guia turístico pois não sabíamos de nenhum a contratar. Mas recomendo..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *