Temperaturas abaixo de zero e rajadas cortantes de vento frio. Situações que não conhecemos em “terra brasilis”. Por isso, na hora de fazer as malas pra uma viagem para regiões mais frias, a dúvida aparece: Que roupas levar?

Apesar de estarmos indo para a Patagônia ainda no verão (chegaremos lá no final de janeiro), as temperaturas por lá já estarão mais baixas e costuma esfriar bruscamente, então precisamos estar com roupas adequadas para aproveitarmos os passeios com conforto.

A receita básica é adorar o sistema de camadas, onde cada peça de roupa cumpre um papel específico no aquecimento e na proteção. O desafio é encontrar o “meio termo” adequado para a sua atividade, desde um trekking leve até atividades em alta montanha.

Primeira Camada

Também conhecida como “underwear” ou como “segunda pele”, é a camada que tem a função de manter a pele seca, livre do suor e aquecida em ambientes de baixa temperatura. Deve ser de manga comprida, bem justa e de tecidos sintéticos, como lycra ou poliéster (dry fit, coolmax, climalite, etc). Nunca de algodão, porque este tipo de tecido fica molhado quando transpiramos durante uma atividade física e demora a secar, gerando desconforto e “esfriando” a pele.
Além disso, as sintéticas são fáceis de lavar, secam super rápido e não precisa passar, consumindo menos tempo e energia.

Segunda Camada

A segunda camada é a do isolamento térmico, composta por um casaco de tecido polar (Polartec, Windstopper, Polarwarm, Microfleece, Pile, Thermotex…), que tem a função de manter o corpo aquecido, deixando passar a evaporação da transpiração, e permitindo que o corpo respire. Existem diferentes tipos de fleece, desde os mais leves até os mais pesados. Uma numeração é usada para determinar a escala de eficiência dos casacos (micro, 100, 200 e 300 gramas), quanto maior o número mais eles aquecem. No nosso caso, acredito que um fleece de 100 já seja o suficiente.

Terceira Camada

É a camada mais importante porque estará em contato direto com o ambiente. Isso quer dizer que ela tem que ser capaz de bloquear o frio, o vento e a chuva. Por isso, escolha com cautela seu casaco ou anorak.
Existem os anoraks impermeáveis/respiráveis, usados geralmente por quem faz esforço em alta montanha. A principal membrana usada nesses tipos de anorak é a Gore-tex, que permite a passagem do suor para fora mas não deixa a água e o vento entrarem. Os anoraks comuns, não respiráveis, podem acumular o suor dentro da roupa e esse acúmulo, em alta montanha, pode congelar dentro da roupa e acabar causando uma hipotermia. No nosso caso, vamos fazer apenas trekkings leves, então os anoraks mais simples (não respiráveis), já podem dar conta do recado – se bem que, se acharmos uma boa oportunidade para termos um de Gore-tex, não vamos dispensar!

E o resto do corpo? A regra das camadas serve para todas elas.

Para as pernas usaremos calça de tecido sintético por baixo (lycra ou suplex), fleece e uma calça térmica impermeável que também ofereça elasticidade para os movimentos.

Para os pés, um par de meias finas (de material que elimina o suor da superfície da pele), meias mais grossas (de lã ou sintéticas) e um bom par de botas, porque se os pés esfriam, esfria o corpo todo 😉

Para as mãos, um bom par de luvas são fundamentais, se forem impermeáveis e respiráveis – tanto melhor; mas no nosso caso não há tanta necessidade porque não faremos grandes trekkings ou travessias.

Para a cabeça, uma faixa de proteção para as orelhas porque o vento gela até o tímpano, mesmo em dias de sol quando talvez não seja confortável usar Gorro de lã. Mas o Gorro é importante para dias e noites mais frias.

Claro que não vamos esquecer dos óculos de sol,  filtro solar e protetor de lábios,  independentemente da temporada.

Sabemos que aqui no Brasil temos ótimas opções que não deixam nada a desejar para as marcas internacionais, e agora que já sabemos o que levar, vamos pesquisar sobre as marcas, qualidade dos produtos de cada uma, o custo-benefício, enfim… E podem esperar que depois que pesquisarmos vamos fazer um post aqui recomendando (ou não) o que encontramos.

Segue abaixo alguns links de algumas dessas marcas:

  • Curtlo – roupas (inclusive infantil), mochilas, acessórios e calçados
  • Solo – roupas (inclusive infantil)
  • Trilhas e Rumos – roupas, mochilas e acessórios
  • Kailash – roupas (inclusive infantil) e acessórios
  • Conquista – roupas, mochilas e acessórios
  • Columbia – roupas (infantil a partir de 8 anos) e calçados
  • The North Face – roupas (inclusive infantil),  mochilas, calçados e acerrórios
  • Snake – Calçados
  • Hi-Tec – Roupas e calçados

Para nós, o desafio maior vai ser equipar nosso pequeno viajante de 3 anos. Por sorte, algumas marcas possuem a linha infantil e, por DNA, nosso pequeno de 3 anos já usa roupas para 4 anos. Quem sabe a gente consegue equipa-lo aqui no Brasil tbém 😉

E você? Tem alguma dica de roupas ou de como usá-las? Compartilha aqui com a gente 🙂

Foto de “capa”: Andypiper