Vivências e dicas de uma família que adora uma viagem ;)!

Santo Amaro da Imperatriz – Águas Termais e Rafting

Chegando em Santo Amaro da ImperatrizFomos para Santo Amaro da Imperatriz, há 35km do centro de Florianópolis. Conhecida como o Verde Vale das Termas, Santo Amaro da Imperatriz é a primeira estância hidromineral do País. Rica em natureza, cenários, paisagens, turismo de aventura e, claro, águas termo minerais.

Habitada por cerca de 17.000 pessoas, a cidade é calma e hospitaleira. As águas termais jorram da terra a uma temperatura de aproximadamente 40°C, e suas propriedades terapêuticas têm fama internacional, atraindo visitantes de todo o mundo para tratamentos de saúde, descanso e rejuvenescimento.

Situada nas encostas do Parque da Serra do Tabuleiro, Santo Amaro da Imperatriz possui diversas cachoeiras; mas a atividade de turismo de aventura mais praticada é o rafting no Rio Cubatão.

Deixamos o passeio de aventura para a parte da tarde e fomos conhecer um pouco mais sobre a história deste lugar, que já começa pelo nome da cidade.

Estas águas termais foram descobertas em 1809 e, em 1812 algumas garrafas de água foram levadas à Corte. Em 1813 o Governo Imperial soube que os habitantes da região se utilizavam dessas águas para a cura e alívio de doenças, e logo mandou um destacamento policial para guardar o local; porém, em 30 de outubro de 1814 um grupo de índios atacou a palhoça dos militares e dizimou o destacamento. Somente em 1818 as fontes foram retomadas dos índios e em 1844 a Imperatriz Tereza Cristina remeteu verba para a construção de uma casa com 10 alcovas para a hospedagem de doentes, e por este motivo a Assembléia Provincial denominou as fontes como “Caldas da Imperatriz”.

Em outubro de 1845 o Imperador D.Pedro II e a Imperatriz Da.Tereza Cristina foram visitar as Caldas e mandaram construir um amplo prédio colonial com banheiras de mármore de Carrara, onde atualmente funciona o Hotel Caldas da Imperatriz, que oferece banhos termais aos hóspedes nas mesmas banheiras ainda conservadas ali.

A falta de educação dos turistas e a má manutenção do Parque são os responsáveis pelo lixo espalhadoO Hotel, que é de propriedade do município e administrado por uma diretoria particular e independente, mantém uma Casa de Banhos, onde visitantes podem experimentar os banhos termais pagando taxas que variam de R$ 4,00 a R$ 7,00. Ao lado da Casa de Banhos, o Hotel também mantém um Parque Aquático de acesso gratuito, com cachoeira, piscina natural, churrasqueiras e tobogã; porém, estivemos lá em um dia de feriado e nos surpreendemos com a quantidade de lixo que vimos jogado no chão – muitas vezes até bem próximo às lixeiras.
À tarde fomos nos aventurar nas águas do Rio Cubatão. O dia estava ensolarado e já podíamos prever que o passeio seria lindo. São várias as operadoras de Rafting que trabalham ali, mas optamos pela Ativa Rafting pelo fato de já conhecermos o trabalho desta operadora em Apiúna/SC e Itacaré/BA. No nosso grupo quase todos eram novatos no rafting.

Fomos muito bem recebidos na agência e logo conhecemos nosso guia: o José, que nos passou todas as instruções preliminares. Nos equipamos com coletes salva-vidas, capacetes, e logo fomos levados ao local de embarque no Rio Cubatão.

Botes na água, todos equipados, sol a pino, paisagem linda ao redor, todos animados e, sob os comandos dos instrutores, em uma grande roda fizemos um alongamento antes de embarcarmos.

Preparativos para a aventura às margens do Rio CubatãoO próximo passo é aprender a sentar no bote, segurar o remo, e se adaptar à fantasia de “playmobil” – me refiro ao colete e capacete. Estávamos em quatro botes, cada um com 4 a 5 pessoas mais um instrutor. Já na água, cada instrutor passou todos os comandos de rafting e treinou sua equipe. Nosso grito de guerra era “Adrenailha!!”, que é o nome da agência que nos convidou para o passeio à Santo Amaro da Imperatriz.

Agora vamos! Queremos começar! Mas…. e se o bote virar? Como fazemos? Isso pode acontecer… Após as instruções teóricas, fomos ao treinamento prático. De repente, o José nos manda concentrar todo o peso em uma só borda do bote e.. tibum! Todo mundo pra água! Viramos! Aprendemos a virar, desvirar, e subir de volta ao bote. Foi bem divertido.

Todos bem depois da virada, graças as orientações prévias.Remamos por 5 km durante 1h40 no Rio Cubatão, passamos por paisagens lindas, descemos várias corredeiras, gritamos muito durante as quedas, jogamos muita água nos outros botes, e numa corredeira acabamos virando o bote sem querer – ou seja: viramos de verdade! Por isso foi ótimo termos treinado no início do passeio. O José comentou que existem passageiros que ficam bravos se o instrutor vira o bote no treinamento, mas isso é necessário, pois o bote pode virar mesmo, e aí é necessário saber os procedimentos de resgate.

Além dos 4 botes, havia também um Duck com um instrutor responsável por fotografar, filmar, e fazer a segurança do grupo.

Uma caminhada sobre as pedrasNum outro ponto mais à frente, como o rio estava em seu nível normal (ele não estava cheio como é de costume no verão), tivemos que descer do bote, caminhar um pouquinho sobre as pedras, e pular no rio mais abaixo: foi muito divertido. Estávamos de colete flutuante e fomos boiando até uma grande piscina natural.
Enfim… nosso passeio foi bem agradável. Os instrutores foram muito atenciosos, recebemos todas as orientações necessárias com relação à segurança, e os equipamentos também eram de ótima qualidade e bem conservados.

Aprendemos que o Rio Cubatão é um dos que abastece os reservatórios de Florianópolis, mas sentimos um pouco a falta de mais informações sobre o ambiente em que estávamos, a mata ciliar que era exuberante, os animais, relevo, comunidade local…

Cachoeira do Quirino, águas frias e limpasDepois do Rafting a Adrenailha nos levou para um picnic na Cachoeira do Quirino, que fica uns 10km de Santo Amaro da Imperatriz. A cachoeira fica em uma propriedade particular e pagamos R$ 3,00 por pessoa para visitá-la.

No local não há nenhuma infra-estrutura,mas pudemos tomar deliciosos banhos revigorantes, escorregar no tobogã natural, e fazer um lanchinho nas pedras de frente à cachoeira: foi uma delícia!

Um lanche para repor energiasHavia outras pessoas lá desfrutando também daquele pequeno pedaço de paraíso, mas infelizmente não eram turistas responsáveis. Como nós, eles também fizeram um lanchinho, mas não levaram seu lixo de volta. Uma pena ainda existirem pessoas assim. Nós trouxemos de volta o nosso lixo e o deles também.

foto de Lyanne Rehder & Marcelo Maestrelli

_______
Serviços:
Ativa Rafting – Santo Amaro da Imperatriz / SC
AdrenaIlha – Praia dos Ingleses – Florianópolis / SC

Quer ir também? Digite: www.SantoAmarodaImperatriz.VOU.LA e… boa viagem

Similar posts

2 Comments

  1. Cristina's Gravatar Cristina
    5 de agosto de 2008    

    Gostaria de saber quais as propriedades das água daí, análise, pra que é útil etc…

  2. 6 de agosto de 2008    

    Oi Cristina,

    Neste link você encontra as propriedades das águas e para que servem: http://www.portalsantoamaro.com.br/portal/index.php?mod=pagina&id=1

    Abs

    Lyanne Rehder e Marcelo Maestrelli

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *