Vivências e dicas de uma família que adora uma viagem ;)!

SC Urubici – Onde o Brasil é mais frio

Morro da Igreja e Pedra FuradaUrubici fica na serra catarinense, a 1425m de altitude, e distante 174km de Florianópolis. O acesso a partir da capital é através da BR-282 até o Distrito de Santa Clara, em Bom Retiro; e depois pela SC-430 por mais 24km até Urubici.


Estivemos visitando Urubici por seis dias durante este verão e descobrimos que, apesar de ser um destino muito procurado no inverno e do slogan “Onde o Brasil é mais frio”, Urubici, com suas paisagens cinematográficas, formações rochosas peculiares e cachoeiras deliciosas, merece ser visitada em dias ensolarados e quentes.

A primeira dica ao chegar à cidade; não deixe de ir até a Secretaria de Turismo* para pegar folders, ver fotos, informar-se sobre os atrativos, hospedagens, guias, agências, restaurantes… O atendimento lá é especial. Sem dúvida alguma você sairá de lá bem orientado para aproveitar melhor sua viagem.

* A Secretaria de Turismo fica na Av. Adolfo Konder, 2543 – a principal avenida da cidade; e o fone é (49) 3278.4245.

Trilhas para todos os gostos em Urubici-SC  -  Foto: Marcelo Maestrelli

Com várias opções de hospedagens, uma série de atrativos turísticos de visitação gratuita ou a preços simbólicos, agências de turismo receptivo, e um povo acolhedor, Urubici merece ser visitada tanto por aqueles que preferem apreciar a natureza sem abrir mão do conforto de um carro, como por aqueles que preferem interagir com a natureza, em trekkings de um, dois, ou mais dias.

Além da visitação aos atrativos naturais, também é possível experimentar atividades de tirolesa, rapel, cavalgada, trekking com acampamento, ou pescaria de trutas.

Descobrimos também que o turista que visita Urubici também vai poder conhecer outras “atrações” que não são oficiais; mas são igualmente interessantes.

Antes de ser conhecida como uma das cidades mais frias do Brasil, Urubici já tinha o título de “Terra das Hortaliças”, por ser o maior produtor catarinense, com 20 variedades de horti-fruti e uma produção de 74.000 toneladas anuais.

Colheita do Tomate   -   Foto: Marcelo Maestrelli

Ao longo das estradas de terra que nos conduzem aos atrativos turísticos, é interessante perceber as terras coloridas por diferentes cultivos, reparar no dia-a-dia do agricultor, no trabalho dos tratores,… Na verdade, podemos aproveitar muito mais esse lado de Urubici.Você já esteve em um pomar de maçãs? Com agricultores trabalhando na colheita? Sabe como é a rotina dos agricultores que colhem tomate? Fumo? Couve? Milho? Sabia que o aquecimento global neste ano antecipou a colheita da maçã gala?

Bem, se você tiver oportunidade, recomendamos que pare para conversar com algum agricultor e pergunte como é o trabalho dele – certamente você vai aprender um monte de coisas novas. Mas lembre-se de pedir licença antes de fotografar alguém ou alguma propriedade e seja cortês com os moradores locais.

É sempre melhor quando você é acompanhado por um guia local (que pode ser contratado nas agências receptivas) – assim você aprenderá muito mais sobre tudo o que está vendo e vai aproveitar mais o seu passeio.

Comentamos na Secretaria de Turismo que gostaríamos de conhecer um pouco da história do município e logo chegou o Luiz Gonzaga, que trabalha na recepção dos turistas que lá chegam, e nos deu uma verdadeira aula sobre a história de Urubici. Também comentou que seria interessante conhecermos o Seu Orquiso (quem será esse Seu Orquiso?) Lá fomos nós meio sem saber o que encontrar.

Seu Orquiso, em Urubici  -  Foto: Marcelo Maestrelli

Seu Orquiso; um senhor nascido em Urubici, dono de uma loja de fotos e tão apaixonado pela cidade quanto pela fotografia. Nos recebeu muito bem, mesmo sem nos conhecer, nos mostrou inúmeras de suas fotos antigas – e contou a história de cada uma delas.Orgulhoso, nos mostrou sua primeira câmera fotográfica, uma Polaroid; e quando perguntamos se ele ainda fotografa, ele nos respondeu com a maior naturalidade: “- Ahh claro… semana que vem tenho que ir em Santa Bárbara para fotografar o cemitério mais antigo da região… eu fotografo sempre, tenho só oitenta anos.”

Ele viu e viveu toda história da cidade, registrou tudo, e hoje tem o maior prazer em dividir seu conhecimento e suas experiências de vida para quem quiser ter um dedinho de prosa com ele.

Enfim, foi uma delícia conversar com o Seu Orquiso – saímos de lá emocionados!

Urubici é assim… Se você for durante verão, volte no inverno para ver a neve; e se for durante o inverno, não deixe de retornar no verão para aproveitar as cachoeiras!

foto de Lyanne Rehder & Marcelo Maestrelli

Confira aqui os Hotéis, Pousadas, Agências e Restaurantes que recomendamos nesse destino.

 

 

Similar posts

4 Comments

  1. Carolina's Gravatar Carolina
    8 de julho de 2008    

    Realmente, Urubici é de se apaixonar…Meu namorado nasceu lá e as vezes vamos lá pra visitar a família…
    Tanto no verão quanto no inverna a cidade é lindaaaaa..
    No inverno não deixe de se agasalhar muito..pois lá é de congelar…
    E uma coisa posso garantir a paisagem de lá não tem nada igual…fora as diversas cachoeiras que são mesmo de arrazar..E indo lá não deixe de ir na Pedra Furada…

    Abraço a todos!!!

  2. 8 de julho de 2008    

    Carolina!!!

    Urubici é realmente um encanto. E os moradores então! Fazem a gente se sentir em casa.

    Essa matéria que vc comentou foi feita no verão de 2007. Este ano (2008) voltamos (no outono/inverno) para nova matéria e acabamos ficando mais tempo. Deu até pra assistir o DesaFRIO (veja os posts mais recentes da categoria [SC] Urubici. Tem um que conta sobre a geada que pegamos e fotografamos. Veja lá as imagens e mate as saudades!

    bjokas

    Lyanne Rehder e Marcelo Maestrelli

  3. Marcelo Freitas Bleyer's Gravatar Marcelo Freitas Bleyer
    21 de julho de 2008    

    Bem, conheço seu Orquiso e também Urubicí e até o cemitério mais antigo de Santa Bárbara. Tenho uma bela passagem deste local, tudo é paisagistico nesta região, eu vinha de uma longa caminhada do Morro da Igreja. Havia saído ás 07:00 hrs e seguí o rio pelotas desde a nascente até a estação das trutas, passei por algumas fazendas e degustei tudo ao redor, era lindo o clima extasiante. De forma natural seguí o curso do rio e depois peguei uma estrada de chão que levaria até Santa Bárbara e o Jaracaca. Então já eram 17:00 hrs e eu estava passando próximo ao cemitério de Santa Bárbara, da estrada parei para observar.Era uma imagem de um lugar que parecia já ter visto, um filme ou sonho. Haviam morros de veludo, como eu os chamo, pois, era só campo ralo devido a ventos fortes, cresce uma vegetãção rasteira, e aquele cemitério antigo com velhas cruzes encima do morrinho. Era uma tarde diferente com uma forte energia daquele local com um belo pôr-do-sol. Caso queiram saber mais histórias de Urubicí, adoro revive-las pois morei 8 anos neste lugar incrível e tenho muitas histórias , aventuras e até lendas que ouví.

    Marcelo Bleyer

  4. 26 de julho de 2008    

    Marcelo!!!!
    uau! adorei seu relato. Vc me transportou pra lá novamente. 🙂

    Seu Orquizo é mesmo um encanto.

    Estivemos por lá novamente entre maio e inicio de julho. Vc viu as novas fotos? Veja na categoria Diário de Bordo.

    Ah, também temos um vídeo (de nossa primeira viagem à Urubici) onde seu Orquizo nos conta um pouco de suas histórias. Veja na categoria Vídeos ou Urubici.

    E volte sempre aqui para nos deixar com mais vontade de estar em Urubici, com esses seus relatos lindos.

    Abs e muito bem vindo 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *